NUTRIÇÃO CEREBRAL



Nutrição cerebral
Facilite a aprendizagem e memória


A fim de facilitar o funcionamento adequado do cérebro e assim, a aprendizagem, deve-se evitar o consumo de alimentos ricos em gorduras trans e de aditivos químicos em excesso (em sua maioria encontrada em alimentos industrializados por aumentar a sua validade e dar crocância). Tal consumo tende a intoxicar os neurônios comprometendo o desempenho cerebral, podendo causar demência, déficit de atenção, ansiedade e depressão.

Sabe-se que o sistema neurológico precisa de boas gorduras para funcionar (W3 - peixes como salmão, sardinha, arenque e cavala; W6 - linhaça) e que, além disso aconselha-se a ingestão de vitamina B6 (cereais integrais, leguminosas, banana, abacate...), para produção de neurotransmissores responsáveis pela atenção e para estimulação dos neurônios.

O consumo de alimentos antioxidantes de coloração avermelhada (melancia, goiaba, pimentão vermelho, mamão papaia...), bem como das proteínas presentes no leite e nos ovos, são aconselháveis devido os efeitos benéficos ao bom funcionamento do cérebro. Alimentos ricos em proteínas quando consumidos, podem aumentar a produção de dopamina e adrenalina que são neurotransmissores capazes de aumentar a energia e o estado de alerta.

Ressalta-se que ovos contêm uma vitamina do complexo B (colina). A falta deste componente pode causar comprometimento da memória e da capacidade de concentração.

O consumo de gorduras boas, vitamina B6, antioxidantes de coloração avermelhada e alimentos ricos em proteínas facilita a aprendizagem e a memória.





Fabiana dos Reis Ayres
Nutricionista
CRN2 6314
Especialista em Nutrição Clínica e Terapêutica Nutricional.
Especialista em Qualidade de alimentos
Autora do livro e cd "Lili e a alimentação saudável".
Idealizadora do Espetáculo teatral musical infantil "Lili e o desafio da pirâmide alimentar".



Publicado em outubro de 2011.



Voltar





    


RS Host - Desenvolvimento de Site Grátis com Hospedagem em Porto Alegre RS